top of page

Quando mudar é uma opção

Atualizado: 20 de out. de 2023

Uma reflexão sobre transição de carreira e recomeços possíveis.

blog-dri-ferreira-quando-mudar-e-uma-opcao

Quando mudar é uma opção: Uma reflexão sobre transição de carreira e recomeços possíveis.


Vivemos a era da escassez, nos falta tempo para fazer tudo que queremos, produzir tudo que nos exigem e ainda ser feliz, manter corpo e a mente em dia. O resultado é a constante sensação de nunca ser bom o bastante, nunca ter tempo e energia suficientes.


Nesse contexto é muito fácil confundir a insatisfação profissional com um momento de exaustão. Você percebe que não se identifica mais com a profissão, não há motivação para fazer todo dia o que antes fazia com prazer. Mas aí vem a negação: é só cansaço, preciso de férias… uma pausa e tudo vai se ajeitar.


Só que a sensação de tempo perdido, num ambiente e/ou atividades que já não acrescentam ao seu desenvolvimento, não passa. Em alguns casos mais agravados, o domingo vira o pior dia e com ele chegam as crises de ansiedade, dor de cabeça, de estômago, insônia… E o problema vai tomando uma proporção bem difícil de ignorar.


"Vulnerabilidade não é conhecer a vitória ou a derrota; é compreender a necessidade de ambas, é se envolver, se entregar por inteiro". Brené Brown

Acontece que, ao longo dos anos, todos nós mudamos e aos 30 já não somos mais a mesma pessoa dos 20 (e ainda bem!). Nossas experiências de vida, amadurecimento, acertos e erros da caminhada nos transformam e às vezes, aquilo que almejamos também muda. Assim, a profissão escolhida há 10 ou 15 anos, pode não estar mais alinhada com valores e propósitos atuais.


Então, sim, pode ser que aos 30, aos 40, aos 50 ou mais, você ainda esteja descobrindo novos talentos, prazeres, crenças e por consequência novos objetivos, pessoais e profissionais. Somente depois de algumas experiências, nem sempre positivas, é que temos condições de conhecermos de verdade nosso propósito, gostos, motivações, valores.


Segundo a escritora e pesquisadora Brené Brown, a vulnerabilidade é estar aberto para a vida e para as relações sem medo de errar. Isso não é fácil, pelo contrário, ela considera um ato de coragem. Mas extremamente compensador, para se viver uma vida com relações mais honestas, sólidas e capazes de transformar.


"O que nós sabemos tem importância, mas quem nós somos importa muito mais". Brené Brown

Quando mudar é uma opção


Após anos dedicados na construção de uma carreira, o quão fácil é deixar tudo de lado e começar de novo? Pensar na mudança é fácil, quase diariamente todos nós pensamos. Agora mudar de verdade é bem mais difícil e na maioria das vezes, um privilégio.


Antes de mudar, é fundamental refletir, conversar com pessoas da sua confiança e principalmente ser muito honesto com você mesmo. Afinal, essa jornada de mudança será extremamente pessoal e solitária em alguns momentos.


Avalie quais das habilidades que você desenvolveu na antiga carreira podem ser úteis na sua nova trajetória. Considere haver capacidades que são universais e fundamentais em qualquer profissão, como responsabilidade, comprometimento, bom relacionamento interpessoal, proatividade, organização, desenvolvimento contínuo, entre outras.


E lembre-se que toda experiência é válida, nos transforma e contribui com a pessoa e profissional que somos. Portanto, tenha em mente que nada do que você construiu e aprendeu até aqui será jogado fora.


3 dicas que podem ajudar na avaliação:


1. Não gosto mais dessa profissão ou não gosto do lugar onde estou?

Às vezes um ambiente ruim pode nos desiludir ao ponto de confundir nossos interesses. Será que você não gosta mais da sua profissão ou não gosta mais de executar essas atividades no lugar em que você está?

O problema são suas responsabilidades diárias, ou as pessoas, valores e propósito da empresa para qual você trabalha?


Considerando um trabalho de 9hrs/diárias, 5 dias por semana, é possível dizer que passamos a maior parte do nosso tempo de vida no ambiente de trabalho. E se ele não for agradável para você, com certeza sua rotina se tornará muito difícil. Não falo aqui sobre a falácia de amar o seu trabalho a ponto de não parecer que está trabalhando (isso não existe) ou encontrar o local dos seus sonhos (porque isso também não existe), trabalho é trabalho. Sempre terá algo que não concordamos ou nos desagrada. A questão é o quanto isso importa para você e como isso afeta ou não os seus limites de aceitação e resignação.


2. Não me identifico com mais nada nessa profissão ou apenas com algumas tarefas?

Talvez, sua mudança não precise ser radical e com apenas algumas adaptações seja possível se realocar. Avalie a posição que você ocupa atualmente, na sua relação de trabalho atual (CLT/ PJ) e até no formato de trabalho. Exemplos: a) você gostava da profissão até ser promovido para uma função de gestão e o acúmulo de atividades e responsabilidades fez você repensar a profissão. Mas, talvez você só não goste de gestão! Será que não vale retornar à função anterior? b) Você gosta da sua profissão, mas está infeliz com o ambiente e a rotina corporativa. Será que não seria uma alternativa trabalhar com consultoria, de uma forma mais autônoma e flexível?

Enfim, os exemplos são muitos, mas a ideia é que você amplie sua visão e observe o problema sobre diversas perspectivas.


Os padrões sociais nos dizem que o objetivo de uma carreira de sucesso é subir todos os níveis possíveis, quanto mais lá em cima mais sucesso. Porém, às vezes você pode ser feliz como analista, especialista, consultor, empreendedor. Nem todos gostam ou tem habilidade para seguir o fluxo padrão de uma carreira corporativa e é muito possível seguir por outros caminhos.

Então pense: você não gosta mais da sua profissão ou da posição que você ocupa? O que exatamente você quer mudar?


3. Qual minha relação com o trabalho hoje?

Nem sempre podemos jogar tudo pro alto assim de uma hora para outra. As realidades nesse brasilzão são diversas e muitas vezes a relação das pessoas com o trabalho é de extrema dependência. Portanto, após refletir sobre seus objetivos profissionais, a primeira atitude a ser tomada é a construção de um planejamento financeiro. Entender seus gastos fixos, juntar uma reserva financeira, talvez iniciar uma atividade que te dê renda extra. Se organize para ter segurança de mudar com mais tranquilidade.


Sem reserva financeira e um bom planejamento, uma mudança como essa pode começar fadada ao fracasso. Fazendo com que você não tenha o tempo necessário para se posicionar em um novo mercado e precise voltar para carreira anterior e/ou acabar em um emprego que você também não gosta. Para fazer dar certo essa etapa é fundamental.


Dica extra: Confie no poder ócio.

Acredite que só podemos ter clareza sobre o que realmente queremos se dedicarmos um tempo para fazer nada. Não é possível refletir e olhar para dentro, vivendo no automático, sem tempo para pensar ou respirar direito. Se você está nesse processo de mudança, tente criar um tempo de ócio para você se conhecer melhor. Reflita sobre sua personalidade, suas características, o que mais gosta de fazer no seu tempo livre... nesse percurso você identificará o que te interessa mais, fazendo seu olho brilhar e o coração bater mais forte.

Talvez aí esteja a direção da sua mudança.


Por fim, nunca esqueça: o que temos de mais precioso nessa vida é o nosso tempo. Ele passa rápido demais para dedicarmos toda nossa energia em algo que não faz sentido. E você, só você pode escolher onde depositar seu tempo e sua energia.


Trabalhar todos precisamos (a não ser que você seja herdeiro(a)), mas você pode fazer isso de forma mais saudável, em um ambiente e no formato que mais combinam com seus interesses no momento.


O caminho não é simples, mas é possível.


"Costumamos pensar que a escolha é uma coisa, mas, na verdade, é uma ação. Não se trata apenas de algo que possuímos, mas de algo que fazemos. Essa experiência me levou à compreensão libertadora de que, embora nem sempre tenhamos controle sobre as opções, sempre temos controle sobre qual escolhemos". Greg McKeown

Deixo também a dica de dois livros incríveis sobre comportamento e desenvolvimento pessoal que podem ajudar muito você a pensar sobre transição de carreira:


 

Faz sentido pra ti? Vamos trocar opiniões aqui nos comentários!

 foto-dri-ferreira-site-profissional

Obrigada por ler, se você gostou compartilhe com seus amigos.


Sigo tentando liberar um texto novo todo mês. Se quiser, envie sugestões de pautas para os próximos meses.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page